Banner Homepage

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alcobaça | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antologia | Árabe | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azulejos | Azurara | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Bussaco | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Caminhos de Ferro | Camões | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Contraponto | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | D. João V | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Egipto | Emigração | Ensaio | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escravatura | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Expedição | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Galiza | Genealogia | Geografia | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Integralismo Lusitano | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Lusíadas | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Marfim | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Moçarabe | Moda | Modernismo | Modinhas | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Novo Cancioneiro | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Paleografia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Poesia Trovadoresca | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Queirosiana | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sertã | Setubal | Sexualidade | Sintra | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Têxteis | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Tomar | Toponímia | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Viagens | Viana do Castelo | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

Montra de Destaques

reservado Sugerir

Referência:13311
Autor:ARCHER, Maria
Título:VIAGEM À RODA DA ÁFRICA Romance de aventuras infantis
Descrição:

Editorial «O Século», Lisboa, 1937. In-8.º de 247-(1) págs. Br.  Capa de brochura com um pequeno rasgão marginal. Profusamente ilustrado ao longo do texto com desenho de M. Lapa.Com uma pequena dedicatória não autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra distinguida em 1938, pelo Secretariado de Propaganda Nacional com o "Prémio de Literatura Infantil - Maria Amália Vaz de Carvalho".

Preço:19,00€

Referência:13357
Autor:autoria indefinida
Título:REVISTA CRÍTICA DE CIENCIAS SOCIAIS
Descrição:

Centros de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1978-1986. Vinte primeiros números da Revista de Estudos Sociais em treze volumes (alguns dos números são duplos ou triplos). Br. Alguns volumes com assinatura de posse. Falho do nº 6.

Observações:

 A Revista Crítica de Ciências Sociais é  uma edição quadrimestral do CES (Centro de Estudos Sociais) da Universidade de Coimbra que publica artigos que apresentem resultados de investigação avançada e de reflexão teórica inovadora em todas as áreas das ciências sociais e das humanidades. A revista foi fundada em 1978 por professores de Sociologia da Faculdade de Ecoomia da UC sob a direcção de Boaventura de Sousa Santos.
A Revista privilegia a publicação de números temáticos com artigos escritos por investigadores sobre as  respectivas áreas de especialidade.


Estes primeiros vinte números encerram alguns números temáticos como : Literatura e sociedade; Teoria das classes; A pequena agricultura em Portugal;Portugal 1974-1984: Dez anos de transformação social,  e artigos bastantes interessantes como : Um Exemplo de Resistência Popular - O Sebastianismo (José Veiga Torres);A Reforma Agrária em Portugal e o Desenvolvimento Económico e Social (Afonso de Barros); Telenovelas. A Propósito da Cultura de Massas (João Paulo Moreira); A Escrita na Vida da Gente: Sobre "Autobiografias Operárias" (Maria Irene Ramalho); Re-lendo "A Room of One's Own". Onde se conta de mudas que ouvem, surdos que falam e mudas que aprenderam a falar (Graça Abranches); "All Colored People Sing". Do estereótipo à identidade (Isabel Caldeira); Carta inédita  de Jorge de Sena; Mulheres, Família e Trabalho Doméstico no Capitalismo  (Virgínia Ferreira);Para uma Sociologia da População - um comentário à Demografia  (Carlos Fortuna); A figura do camponês em Artes e Letras de oitocentos (José Augusto França) entre muitos outros.

Preço:75,00€

Referência:13331
Autor:BARROS, João de
Título:ANTEU Poema Dramático
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1933.In-8º de 122-(6) págs. Br. Capa de brochura de Raúl Lino. Valorizado pela expressiva dedicatória ao poeta José Osório de Oliveira.

Observações:

Do  prefácio  de  Ferreira  de  Castro  publicado  na  edição posterior "Anteu -  Sísifo",  das  Edições
Livros do Brasil:
"Anteu é a batalha da minoria com a maioria. A  batalha  dos  percursores  com  as  dúvidas  dos  seus  contemporâneos.  É  o  sonho  que  vê  mais  longe, que  vê  para  lá  daqueles  a  quem  a força  dos  hábitos,  as  escravaturas  consagradas,  as  aceitações  tradicionais,  impregnam  de  cepticismo  e  encurtam  a  visão  da nova  terra  onde  eles  próprios  se redimiram (...)".

Preço:20,00€

Referência:13313
Autor:CAROÇO, Jorge Vellez
Título:MONJUR o gabú e a sua história
Descrição:

Centro de Estudos da Guiné Portuguesa,  Bissau, 1948. In-8º de 267 pags. Br. Capas de brochura empoeiradas. Pequena assinatura de posse. Ilustrado em extra-texto com fotografias sobre papel-couché.

Observações:

Interessante estudo sobre a história da origem dos reinos Fulas, os antepassados do Soba Monjur e a sua descendência, baseado nas recolhas transcrições dos manuscritos tribais.

"As origens deste livro e a sequência de acontecimentos que levaram finalmente à sua publicação são explicados pelo autor nas páginas seguintes. (...) Motivou este facto, sobretudo, o reconhecer-se que nele se continha numerosos e valiosos elementos, de recolha directa, relativos à história indígena da metade oriental da Colónia, o Gabú. O Capítulo I — ‘O Gabú e a sua História’ — constitui uma compilação do que à data em que foi escrito — há cerca de 15 anos — se sabia ou discutia quanto às origens das populações africanas, grandes invasões, impérios de Gana e Mali, reino fula de Maciná, etc. (...) Todos os outros capítulos, porém, são de evidente interesse, pois constituem o fruto de investigações directas e locais, do autor e dos indivíduos que cita (...)"

"O trabalho de muitos meses, em arquivos, de muitas consultas, de muitas horas de extenuantes audições de indígenas, que através da tradição nos relatam factos, umas vezes de verdade histórica, outras de fantasia lendária; de muitos dias consumidos em traduções de impressos e manuscritos árabes e de muitos e variados Tariks que me foi possível conseguir."

Preço:28,00€

Referência:13375
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:A ESCRAVATURA subsídios para a sua história
Descrição:

Agência Geral das Colónias, Lisboa, 1944. In-8º de 186 págs. Br. lombada com algumas manchas de água. Ilustrado com quadros desdobráveis. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra pioneira em Portugal e uma das primeiras tentativas de análise da escravatura como processo histórico, constante e regular na sociedade nacional. A abordagem do tema foi isenta, destituída de intenções patrióticas, criticando aqueles que “exigem sempre ao lado do passado morto o desinfectante”. Segundo ele “a escravatura não surgiu no espírito dos Portugueses com um plano de colonização, mas foi condição essencial da vitória de ambições que, à margem dos caminhos da Fé, pensavam em servi-la realizando um comércio lucrativo que o espírito da época não reprovava”

Preço:47,00€

Referência:13322
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:ARTE E ARQUEOLOGIA. Prefaciado pelo Dr. Aarão de Lacerda.
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1925. In-8º de XV-327-(1) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto.

Observações:

Obra onde se reunem  importantes estudos escritos por Teixeira de Carvalho dos quais destacamos: O Túmulo do Infante; O Côro do mosteiro de Santa Cruz; A Música em Santa Cruz de Coimbra; A arte e o simbolismo; Lendas de Arte; A Fonte de S. Paio Gutérrez;  As Lendas e a história; A Decoração da Sé Velha; Coimbra no século XVII, entre muitos outros.

Do prefácio:
"Poucos dias depois da sua morte dedicava-lhe eu algumas palavras para um In-memoriam que exprimiriam a consagração e a saudade pelo amigo e Mestre dos mais ilustres que tive na minha vida de estudante da Universidade(...) Êste livro onde foram reunidos com ternura alguns dos seus mais belos artigos, é decerto aquele onde se espelha com mais fidelidade a sua alma de artista; ao lê-lo eu tive a impressão de que o ouvia falar com a face congestionada e os olhos coriscantes de entusiasmo, com tal veemência que não admitia contradições (...)”.

 

Preço:23,00€

reservado Sugerir

Referência:13149
Autor:CASTELO BRANCO, Camilo & MARTINS SARMENTO, Francisco
Título:OBOLO ÁS CREANÇAS, por … Collaborado por Joaquim Ferreira Moutinho.
Descrição:

Porto. Tipografias diversas, Porto, 1887. In-8.° gr. de XX-LXXXV-IV-174-(4) págs. Encadernação meia francesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Conserva capas de brochura. Ilustrada com os retratos dos dois autores. Edição luxuosa com algumas páginas decoradas com tarjas impressas a cores.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Conjunto de pequenos trabalhos reunidos num só volume, organizado por Joaquim Ferreira Moutinho com o objectivo de angariar fundos para uma creche do Porto.
 A obra reúne também cinco cartas trocadas entre os dois escritores, cuja primeira publicação ocorreu em forma de folhetim, em 1887, e que posteriormente foram incluídas neste volume.

"O PRODUCTO d'este livro é generosamente offerecido pelos seus illustres auctores ao Real Hospital de Crianças Maria Pia e á Creche de S. Vicente de Paulo para fundo da sua escola.

A Commissão editora, tomando a liberdade de  offerecer a V. Ex um exemplar d'esta obra, pede e roga ao mesmo tempo se digne V. Ex.coadjuvar tam humanitário pensamento, concorrendo para elle com o precioso fructo da sua provada philantropia.
A mesma Commissão espera mais da alta beneficência de V. Ex. haja por bem mandar entregar o obolo da sua caridade ao Ex. Sr. Carlos José da Silva, digno thezoureiro da Commissão.

E permitta V. Ex. que a Commissão, desde já profundamente penhorada pela benévola acquiescencia que espera de V. Ex., consigne aqui também  o seu indelevel reconhecimento e eterna gratidão."

Preço:50,00€

Referência:13453
Autor:CERVANTES, Miguel
Título:EL INGENIOSO HIDALGO DON QUIJOTE DE LA MANCHA compuesto por ... Lujosa edición con un proemio de José M. Asensio lustraciónes deDon Moreno Carbonero y Don Laureano Barrau eCERVANTES Y SUS OBRAS
Descrição:

 F. Seix, Editor, Barcelona, 1898-1904. Três volumes de in-8º de LXXXVIII-607,  XXIII-667 , X-563 págs. Sumptuosa encadernação editorial com lombada em chagrin com estampa a cores e ouro na capa, na pasta anterior ostenta o escudo real gravado a ferro, magnificamente bem conservada assim como as cromolitografias a cores de José Moreno Carbonero e Laureano Barrau protegidas por folha de papelde  seda. Vinhetas e letras capitulares policromadas da autoria de diferentes artistas. Corte superior das folhas brunido a ouro fino.

Observações:

Os dois primeiros volumes encerram a obra "Dom Duixote" de Cervantes e o terceiro volume encerra um conjunto de 27 ensaios sobre Cervantes, da autoria de José M. Asensio, um dos maiores estudiosos da sua obra, dos quais destacamos: Sobre las ediciones primitivas de El Ingenioso Obras desconocidas de Cervantes, Sobre La Estafeta de Urganda, Los continuadores de El Ingenioso Sobre La Española Inglesa, Desavenencias entre Miguel de Cervantes y Lope de Vega, El Conde de Lemos, Estudió Cervantes en Salamanca?, Un cervantista portugués del siglo XVIII quemado por el Santo Oficio, Los académicos de Argamasilla, El testamento de Cervantes, Sentido oculto del Quijote.

Preço:240,00€

reservado Sugerir

Referência:13494
Autor:CESARINY, Mário de & CRUZEIRO SEIXAS, Artur Manuel do
Título:50º ANIVERSÁRIO DO PRIMEIRO MANIFESTO SURREALISTA
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1974. In-fólio de 28-(1)págs.Br. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto. Capas empoeiradas. Exemplares numerados de 1 a 300 sendo este o nº 252.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Contribuição  Ao  Registo  De   Nascimento,  Existência  E  Extinção  Do  Grupo  Surrealista  De  Lisboa.

 

Reunido  e  anotado  por  Cesariny,   editado  por  este  e  por  Cruzeiro  Seixas  em  exemplares  numerados  de  1  a  300  no  ano  do  primeiro  cinquentenário  do  Primeiro  Manifesto  Surrealista.

Contém  a  publicação  de  doze  cartas  de  Alexandre  O`Neill,  António  Domingues,  Cândido  Costa  Pinto,  Moniz  Pereira,  Cesariny,  António  Pedro,  ,  Fernando  de  Azevedo,  José-Augusto  França,  Vespeira,  António  Maria  Lisboa  e  Cruzeiro  Seixas,  sendo  estes  dois  últimos  em  extra-texto.

Preço:150,00€

Referência:13340
Autor:CORTES-RODRIGUES, Armando
Título:ANTOLOGIA DE POEMAS de...
Descrição:

Arquipelago, Coimbra, 1956. In-8º de 290-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com um retrato do autor da autoria de Domingos Rebelo. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Antologia de poemas de Armando Cortes-Rodrigues com selecção e prefácio de Eduíno de Jesus, e que reune todos os seus livros publicados até então e inclui as participações nas duas revista "orpheu". No número 2 da revista «Orpheu» assina com o heterónimo Violante de Cysneiros.

Preço:20,00€

Referência:13420
Autor:DIONÍSIO, Mário
Título:POEMAS
Descrição:

Nova Atlântida, Coimbra, 1941. In-4º de 62-(2) págs. Br. Integrado na conhecida colecção "Novo Cancioneiro". Valorizado pelo autógrafo do autor.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Segundo livro publicado nesta importante colecção de poesia Neo-realista.

 

ARTE POÉTICA

 

A poesia não está nas olheiras imorais de Ofélia
nem no jardim dos lilases.
A poesia está na vida,
nas artérias imensas cheias de gente em todos os sentidos,
nos ascensores constantes,
na bicha de automóveis rápidos de todos os feitios e de todas as cores,
nas máquinas da fábrica e nos operários da fábrica
e no fumo da fábrica.
A poesia está no grito do rapaz apregoando jornais,
no vaivém de milhões de pessoas conversando ou prague­jando ou rindo.
Está no riso da loira da tabacaria,
vendendo um maço de tabaco e uma caixa de fósforos.
Está nos pulmões de aço cortando o espaço e o mar.
A poesia está na doca,
nos braços negros dos carregadores de carvão,
no beijo que se trocou no minuto entre o trabalho e o jantar
— e só durou esse minuto.
A poesia está em tudo quanto vive, em todo o movimento,
nas rodas do comboio a caminho, a caminho, a caminho
de terras sempre mais longe,
nas mãos sem luvas que se estendem para seios sem véus,
na angústia da vida.
A poesia está na luta dos homens,
está nos olhos abertos para amanhã
.

Preço:100,00€

Referência:13465
Autor:FILIPE, Daniel
Título:MARINHEIRO EM TERRA. Poemas.
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1949. In-8º de 53-(3)págs. Br. Capas com alguns picos de acidez. Capa de António Vaz Pereira. Este exemplar é o nº 2 de 5 exemplares em papel bíblia, da Matrena, fora do mercado, numerados e rubricados pelo autor". Valorizado pela expressiva dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Castro a quem o livro também é dedicado.

PRIMEIRA EDIÇÃO do segundo e raro livro do autor.

Observações:

 

CANTIGA DE RODA

A tarde no jardim deserto e calmo
e este livro de poemas morno e fútil!
(Por exemplo: vejamos este "salmo")
Tudo tão completamente inútil!

Um céu azul, sem núvens - de verão.
Duas crianças jogam animadamente
ao eixo. Um entusiasmo são
qur me torna igual a toda a gente!

Apetece ser simples e sincero,
aqui onde há crianças e pardais...
Que diabo! Uma vez, ao menos, quero
ser como os mais!

 

Preço:75,00€

Referência:13395
Autor:FONSECA, Manuel da
Título:SEARA DE VENTO
Descrição:

Ulisseia, Lisboa, 1958. In-8º de 171-(1) págs. Br. Sobrecapa editorial com ilustração de Vespeira. Valorizado pela expressiva dedicatória autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Primeira edição deste excelente livro de Manuel da Fonseca, autor vigiado pelo regime salazarista, tendo a publicação deste livro sido autorizado após apreciação da Direcção dos Serviços de Censura.
A obra, dentro da estética neo-realista inspira-se num acontecimento verídico que ocorreu na aldeia da Trindade (Beja), Manuel da Fonseca descreve um episódio ocorrido em 1932, nessa aldeia, o assassinato de António Dias Matos, operário agrícola, pela GNR e constitui um testemunho de um "tempo" de repressão, fome, humilhação e privação de direitos nos campos do Sul de Portugal.

 

Preço:40,00€

Referência:13336
Autor:FREITAS, Gustavo de & CABRAL, Miguel de Castro
Título:OBRAS DO DIABINHO DA MÃO FURADA Novela atribuída a Antonio José da Silva ( o Judeu). Edição e estudo Critico de
Descrição:

Revista da Lingua Portuguesa, Rio de Janeiro, 1925. In-4º de XXV-85 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas. Separata da Revista da Lingua Portuguesa. Edição especial de 29 exemplares numerados e rubricados pelos autores dos quais "só entram no commercio os de nº 22  a 29", sendo este exemplar o nº 19. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira.

RARO.

Observações:

Obra portuguesa, de autoria e data controversa do Séc XVIII ou XIX,atribuida a António José da Silva e que circulou em forma de manuscritos, conhecendo-se apenas dois manuscritos preservados que divergem em alguns detalhes: um deles está na Biblioteca Nacional e outro na Academia de Ciências de Lisboa.
A obra,  narra a  história do Diabinho da Mão furado e do soldado Peralta às voltas com pactos, diabos, bruxas, e também com  referências clássicas, como a Bíblia, a Divina Comédia de Dante,e Dom Quixote de  Cervantes.Nas entrelinhas dessa   narrativa, o autor introduz severas críticas à sociedade lisboeta e à intolerância da Inquisição  
Portuguesa.
As primeiras 25 páginas desta obra encerram um prefácio de Fidelino de Figueiredo e um estudo critico de Gustavo de Freitas & Miguel de Castro Cabral.

Preço:50,00€

Referência:13318
Autor:GIRÃO, Aristides de Amorim
Título:GEOGRAFIA DE PORTUGAL Acrescida do estudo das Ilhas Adjacentes.
Descrição:

Portucalense Editora, Porto. 1960. In-4.º de 510 pags. Encadernação editorial em pele gravada com ferros a ouro nas pastas e na lombada. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com mapas geográficos completados com informação impressa sobre folhas de papel vegetal; mapas hipsométricos; mapas com as bacias hidrográficas; mapas com os tipos de povoamento; mapas com os tipos de produção; etc.

Observações:

Obra de referência sobre a geografia de Portugal escrita por Amorim Girão  um dos maiores geógrafos portugueses e considerado uma autoridade científica no âmbito da Geografia de Portugal, colaborou em várias revistas, pertenceu a diversas agremiações científicas e participou em muitos congressos nacionais e internacionais. Deixou uma vasta obra, quer de material cartográfico, quer de monografias, da qual se destacam: Bacia do Vouga: estudo geográfico (dissertação de doutoramento); Lições de Geografia Humana; Geografia de Portugal e Atlas de Portugal. Foi, essencialmente, com base nos estudos de Amorim Girão, sobre a divisão regional de Portugal, que foi traçada a divisão administrativa do continente em províncias, levada a cabo em 1936.

 

Preço:60,00€

Referência:13368
Autor:GUERRA, Oliveira
Título:CÉLTICA
Descrição:

Escola Tipográfica da Oficina de S. José, Porto, 1960-1961. quatro números de in-8º com numeração corrida (o primeiro tem 48 páginas, o segundo decorre entre a 51 e 144, o terceiro entre a 147 e 240, e o final entre as 243 e 336). Br. Capas de brochura ligeira mente empoeiradas. Ilustrado ao longo do texto. Arranjo gráfico de António Leite.

COLECÇÃO COMPLETA.

INVULGAR

Observações:

Revista dirigida por Manuel de Oliveira Guerra no início da década de 60 do século passado. Esta
publicação tratava de "quebrar a capa de gelo" entre a literatura português e a literatura galega, e nela se recolheram colaborações de vários autores.
Existia um núcleo de colaboradores permanentes do lado português ( Hugo Rocha, Barata Feyo, Rebelo Bonito); um artista catalão, Tomás Casals Marginet,  e um núcleo galego, formado em volta dos irmãos Carré Alvarellos: Lois, Uxio e Leandro. Revista muito importante para traçar o panorama da relação galego-portuguesa a nível das artes e literatura nos anos 60.

 

Preço:45,00€

Referência:13365
Autor:KUBLER, George
Título:A ARQUITECTURA PORTUGUESA CHÃ entre as especiarias ee os diamantes (1521- 1706)
Descrição:

Vega, Lisboa, 2005. In-8º de 354 págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto.

Observações:


Livro que é um dos mais importantes contributos do século XX para a história da arquitectura portuguesa. Nele, o autor propunha o conceito de arquitectura chã para analisar a arquitectura portuguesa posterior ao grande ciclo manuelino (as especiarias do título do livro) e anterior a outro tempo forte, o do joanino (os diamantes).
A arquitectura chã é um estilo arquitectónico exclusivamente português e de influência clássica , atravessando o período compreendido entre 1550 e o final do século XVII. Internacionalmente a arquitectura chã era classificada como um mau renascimento quase barroco, com este livro de Kubler isto modificou-se, pois ele chegou à conclusão, que a arquitectura portuguesa era diferente de toda a arquitectura. O autor denominou-a de plain architecture, que significa que é uma arquitectura sóbria, depurada e pobre.  Neste período vivia-se a contra-reforma da igreja católica com o Concílio de Trento que tem um papel determinante em Portugal, pois foi dos primeiros países a aderir, porque era um país extremamente católico, isto levou à constituição de uma nova ordem católica, os Jesuítas.

Preço:17,00€

Referência:13369
Autor:MAIA, António da Silva
Título:DICIONÁRIO ELEMENTAR PORTUGUÊS - OMUMBUIM - MUSSELE dialectos do kimbundu e mbundu
Descrição:

Escola tipográfica das Missões,Angola, 1955. In-8º de 231 págs. Br. capas de brochura envelhecidas e amarelecidas pelo tempo. Com uma dedicatória autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra de linguística de referência e manual obrigatório e único de quem quiser aprender as línguas OMUMBUIM, falada no Amboím, e MUSSELE, falada na região de Seles, em Angola.
 

 

Preço:45,00€

Referência:13378
Autor:MARQUES, A. H. de Oliveira
Título:FIGURINOS MAÇÓNICOS OITOCENTISTAS um "guia" de 1841-42 apresentação, introduçao e anotações de
Descrição:

Editorial Estampa, Lisboa, 1983. In-8º de 79 págs. Br. Profusamente ilustrado com gravuras a cores.Integrado na colecção "Imprensa Universitária". Com um ex-libris colado no ante-rosto.

Observações:


Obra muito curiosa compilada por Oliveira Marques, um dos maiores historiadores da Maçonaria,que tem como base os guias maçónicas encontradas no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, juntamente com o texto de um decreto regulamentar de 15 artigos, com a chancela do Supremo Conselho de Portugal, datado do “25º dia da lua de Sivan, do ano da Grande Luz de 5842” (25 de maio de 1842). A obra mostra os paramentos dos 33 graus maçónicos.

Preço:19,00€

Referência:12533
Autor:PALAFOX Y MENDOZA, Juan de
Título:LUZ A LOS VIVOS, Y ESCARMIENTO EN LOS MUERTOS
Descrição:

En Madrid Por Bernardo de Villa-Diego, Madrid, 1668. In-4º de  40-380-28 págs. Encadernação coeva em pele com floroes e dizeres gravados na lombada apresentado localmente fortes sinais de manuseamento, sem prejuizo da estrutura sólida do livro. Mancha de humidade em alguns fólios. Primeira folha com ligeira falha de papel marginal. Folha de rosto com cercadura decorada. Texto impresso em  duascolunas.

MUITO RARO.

Observações:

Obra mística, escrita por Don Juan de Palafox y Mendoza no século XVII, de grande difusão nos  séculos XVII e XVIII, é considerada uma das obras religiosas mais obscuras da época pois nele se abordam os contactos  de freiras com defuntos que lhes narram os seus pecados e castigos e que servem com alegorias para os leitores.

 

Preço:180,00€

Referência:13367
Autor:PIMENTEL, Alberto
Título:O CAPOTE DO SNR. BRAZ
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron, Porto, 1877. In-8.º de XVI-225-(1) págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Compilação de crónicas, artigos e folhetins anteriormente publicados no "Diário de Notícias" por este autor contemporâneo de Camilo Castelo Branco.

"O titulo d'este livro é exactamente como esse  mysterioso capote, porque, por detraz d'elle, estão  os mais variados assumptos, as mais oppostas narrativas, que todavia podem constituir um volume como essas mil pequenas coisas, differentes umas  das outras, de que o próprio Braz era portador iam certamente constituir um jantarinho de velho celibatário."

 

Preço:30,00€

Referência:13361
Autor:REDOL, Alves
Título:FANGA romance
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa, 1943. In-8º  de 353 págs. Br. Miolo com alguns picos de acidez. Com uma pequena assinatura de posse. Capa de Fred Kradolfer.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Um dos livros mais importantes de  Alves Redol, é um exemplo típico do neo-realismo português onde os trabalhadores, sujeitos a brutal exploração, começam a despertar para uma consciência de classe.

"Para vocês, fangueiros dos campos da Golegã, escrevi este livro. Que algum dia o possam ler e rectificar, pois o romance da vossa vida só vocês o poderão escrever."

Preço:25,00€

Referência:13359
Autor:REDOL, Alves
Título:UMA FENDA NA MURALHA
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa,  S.d. In-8º de  308-(6) págs. Br. Capa de Octávio Clérigo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR

Observações:

Romance de um dos fundadores do Neo-Realismo cujo ambiente é o de um porto pesqueiro e que relata uma violenta tempestade a bordo de um pequeno barco de pesca.

Da badana:

"Disse Alves Redol que o seu novo romance é ‘um episódio da História Trágico-Marítima dos nosso dias’ e tem razão. Apesar da nossa chamada ‘vocação marítima’, ainda até hoje ninguém se decidira ou tivera a coragem de o descrever com aquela objectividade inexorável que o autor que o autor de Uma Fenda na Muralha pôde condensar nas seguintes e enxutas palavras: ‘uma análise do medo em oito homens diferentes — desde os que dominam aos que são tomados de pânico ‘(...)”

 

Preço:24,00€

Referência:13495
Autor:ROSA, António Ramos
Título:ESTOU VIVO E ESCREVO SOL
Descrição:

Editora Ulisseia, Lisboa, 1966. In-8.º de 88-(6) págs. Br. Orientação gráfica de Espiga Pinto. Sobrecapa em papel de alcatrão. Integrado na "Colecção Poesia e Ensaio".

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

 

Observações:

Eu escrevo versos ao meio-dia
e a morte ao sol é uma cabeleira
que passa em fios frescos sobre a minha cara de vivo
Estou vivo e escrevo sol

Se as minhas lágrimas e os meus dentes cantam
no vazio fresco
é porque aboli todas as mentiras
e não sou mais que este momento puro
a coincidência perfeita
no acto de escrever e sol

A vertigem única da verdade em riste
a nulidade de todas as próximas paragens
navego para o cimo
tombo na claridade simples
e os objectos atiram suas faces
e na minha língua o sol trepida

Melhor que beber vinho é mais claro
ser no olhar o próprio olhar
a maravilha é este espaço aberto
a rua
um grito
a grande toalha do silêncio verde.

Preço:50,00€

Referência:12835
Autor:ROSA, José António da
Título:COMPENDIO DAS MINASdedicado ao Serenissimo Senhor D. João Príncipe do Brazil. Composto por José Antonio da Rosa, Sargento Môr, e Lente de Artilharia na Real Academia Militar.
Descrição:

Na R. Typ. de João António da Silva Impressor de Sua Magestade, Lisboa, 1794. In-8.º de VI-268-(6) págs + 7 tábuas desdobráveis em extra texto entre as páginas 106 e 107 + 15 estampas desdobráveis em extra texto no final do volume. Encadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Miolo muito fresco e limpo.

Segunda edição («segunda impreffaõ»)

RARO.

Observações:

 Obra dedicada às minas explosivas e que serviu de base às lições que o autor deu na Academia Real das Fortificações, onde era Lente.

Inocêncio IV, 246. "JOSÉ ANTONIO DA ROSA, Tenente general, Conselheiro de guerra, e Commandante geral da Artilheria Deputado ás Côrtes constituintes de 1821, etc. Foi, segundo creio, natural de Lisboa, e parece ter falecido pelos annos de 1831 ou 1832. Na Galeria dos Deputados das referidas Côrtes, já por vezes citada, lê-se a respeito d"elle o juizo seguinte: «Homem probo, de rectas intenções, e sabedor de sua profissão militar, porém quasi nullo em materias politicas, o illustre deputado Rosa tem sido regular nas votacões, e guardado um supersticioso silencio.» Compendio das minas, dedicado ao serenissimo sr. D. João, principe do Brasil. Lisboa, na Offic. de João Antonio da Silva 1791. 4.º de VI 268 pag. com quinze estampas. O auctor compoz esta obra para servir de texto ás lições na Academia Real de Fortificação, onde elle então era Lente."

Preço:195,00€

Referência:13352
Autor:SANCHES, José Dias
Título:BELÉM DO PASSADO E DO PRESENTE
Descrição:

Separata do Jornal Ecos de Belém, Lisboa, 1970. In-8º de 242-(2) págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto. Ostenta vários carimbos de biblioteca particular.

Observações:

Exaustiva monografia sobre a história da zona de Belém em Lisboa, encerra capítulos sobre os seus monumentos e quintas. Encerra também um interessante capítulo com  apontamentos sobre as famílias tradicionais daquele bairro lisboeta.

Preço:17,00€

Referência:13328
Autor:SILVA,Luciano Pereira da
Título:A ARTE DE NAVEGAR DOS PORTUGUESES Desde o Infante a D. João de Castro. Por..., Professor da Universidade de Coimbra. seguido de DUARTE PACHECO PEREIRA. Percursor de Cabral
Descrição:

Litografia Nacional, Porto, 1923. Dois volumes encadernados em um de in-4º de  76-(4) e 31-(4) págs. Encadernação editorial cartonada. Ilustrado ao longo texto e em extra-texto com quadros de dados, fotogravuras e gravuras de instrumentos náuticos fielmente reproduzidos. Tiragem restrita de 100 exemplares numerados. Valorizado pela dedicatória autógrafa. Cartonagens com algumas manchas marginais de humidade.

INVULGAR.

Observações:

Obras essenciais que resultaram de uma investigação muito rigorosa sobre a navegação durante os Descobrimentos portugueses. O segundo livro aborda a vida de Duarte Pacheco Pereira, um dos maiores navegadores portugueses.

Preço:90,00€

Referência:12959
Autor:SOUSA, Fr. Luís
Título:ANNAES DE ELREI DOM JOÃO TERCEIROPublicados por Alexandre Herculano
Descrição:

Typographia da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Uteis, Lisboa, 1844. In-8º de XXIII-469-(8) págs. Encadernação inteira em pele com florões e dizeres  a ouro em casas fechadas na lombada, pastas com cercadiras gravadas a sêco. Ilustrado com um fac-simile desdobrável do manuscrito autógrafo de Frei Luís de Sousa.

Muito rara PRIMEIRA EDIÇÃO quando completo com o facsimile, como o nosso.

Observações:

Primeira edição desta obra indispensável  para o estudo do reinado de D. João III. Alexandre Herculano no prefácio afirma “O aparecimento de uma obra de Frei Luís de Sousa cuja perda se acreditava irreparável é [foi] um sucesso importante nos anais da literatura portuguesa. Embora não seja preciso ler muitas páginas para afirmar que se trata da mesma pena que escreveu a «Vida do Arcebispo de Braga» e a «História de S. Domingos»… e mais que tudo o autógrafo do próprio manuscrito não tirasse qualquer sombra de dúvida que pudesse recrescer sobre o verdadeiro autor dele”.
Segundo Inocêncio V, 327: "... 'Frei Luís de Sousa  (1.º), chamado no seculo Manuel de Sousa Coutinho, quarto filho de Lopo de Sousa Coutinho, de quem já se fez memoria a pag. 192 do presente volume. N. em Santarem, no anno de 1555, segundo a opinião de alguns dos seus biographos. Consta que depois de concluidos os primeiros estudos, determinára seguir a profissão das armas, ou se alistára, como alguns dizem, na ordem militar de Malta, e a bordo de uma galera da mesma ordem foi captivo pelos mouros, e conduzido para Argel, pelos annos de 1575--1576. N'esta cidade adquiriu conhecimento e tracto de amisade com Miguel de Cervantes, que para ahi fôra levado na mesma condição pouco tempo antes. Resgatado, ao que parece no anno de 1577 (o mesmo em que faleceu seu pae), regressou a Portugal por via de Hespanha, na opinião mais provavel pelos annos de 1579. Casou entre os de 1584 e 1586 com D. Magdalena de Vilhena, tida por viuva de D. João de Portugal, que passava por morto na jornada de Africa; e continuou residindo, ora em Lisboa, ora na villa de Almada. Sabe-se que estava em Madrid no anno de 1600, e crê-se que então emprehendêra uma viagem ás Indias Occidentaes, d'onde voltára á patria em 1604, ou no anno seguinte. Viveu ainda alguns annos com sua familia, até que em 1613 elle e sua mulher tomaram o acordo de separarem-se, recolhendo-se uma ao convento do Sacramento de Lisboa, e entrando o outro no de S. Domingos de Bemfica. Ahi passado o anno do noviciado professou a 8 de Septembro de 1614, mudando então o nome no de Fr. Luis de Sousa. O motivo d'esta separação é ainda duvidoso para muitos, que tomam á conta de romance o que relata Fr. Antonio da Encarnação no prologo da segunda parte da Historia de S. Domingos; outros porém o admittem como veridico e plausivel. Seja como for, viveu Fr. Luis de Sousa no convento de Bemfica dezenove annos, durante os quaes não quiz acceitar na ordem cargo algum se não o de Chronista, a que o obrigou a obediencia. M. no mez de Maio de 1632. Quanto ao dia, é ponto controverso entre os biographos, como o são tantas outras circumstancias da sua vida: pretendendo uns que elle falecesse a 5, outros que a 11. O sr. A. Herculano, por inducções que parecem bem fundadas, julga que elle contava a data do falccimento de 73 a 75 annos; porém n'esse caso deveria ser nascido entre 1557 e 1559. - Para mais exacto e minucioso conhecimento do que lhe diz respeito, consulte-se a Memoria historica e critica ácerca de Fr. Luis de Sousa etc. pelo bispo de Viseu D. F. A. Lobo, que anda no tomo II das Obras d'este prelado, de pag. 61 a 171, e fôra anteriormente inserta nas Memorias da Academia Real das Sciencias. Vej. tambem os auctores ahi apontados; e além d'estes José Caetano de Mesquita na noticia que poz á frente da sua edição da Vida do Suso; e o sr. Herculano, em outra noticia, anteposta aos Annaes de D. João III por elle publicados em 1844, onde se rectificam algumas especies em que claudicára o bispo de Viseu na sua Memoria, aliás interessantissima a todos os respeitos, e cuja lição se recommenda aos estudiosos como de instructiva utilidade'.“Annaes d'el rei D. João terceiro. Lisboa, na Typ. da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos uteis 1844. 4.o de XXIII 469 pag., com um facsimile do manuscripto original e autographo, existente na Bibl. Real d'Ajuda. Deve-se ao sr. A. Herculano a vulgarização deste valioso inédito, quase desconhecido, e que fôra completamente ignorado de Barbosa; como bem mostram as flagrantes inexactidões por este comettidas no pouco que da obra diz, guiando-se pelas informações superficiais que dela tinha ...".

Obra contendo importantes informações sobre a partilha dos mares do Moluco, ou ilhas Molucas e ilhas Filipinas, entre Portugal e a Espanha. O autor é considerado o maior cronista português do seu tempo, foi amigo de Miguel de Cervantes com quem partilhou o cativeiro em África.
 

Preço:400,00€

Referência:13316
Autor:THOMÁS, Pedro Fernandes
Título:CANÇÕES POPULARES DA BEIRA Acompanhadas de 58 melodias recolhidas directamente da tradição oral. Com uma introdução por J. Leite de Vasconcellos.
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1923. In-4º de XXXII-254 págs. Br. capas de brochura com alguns picos de acidez e amarelecidas pelo tempo. Integrado na colecção Subsídios para a História da Arte Portuguesa.

Observações:

Compilação de canções populares da Beira recolhidas por Pedro Fernandes Thomás que se distinguiu em diversas áreas da cultura e do património etnográfico, arqueológico e musical.

A obra contém descantes e cantigas de roda e  a Beira Litoral e Coimbra estão representadas com diversos exemplares.

" Estando ha muito esgotada a primeira edição desta colecção, que viu a luz da publicidade em 1896, na Figueira da foz, sai ela agora em nova edição refundida e ampliada com mais algumas canções, recolhidas na mesma região."

Preço:28,00€

Referência:13349
Autor:VERTOT, Abade de
Título:REVOLUTIONS DE PORTUGAL nouvelle edition revue & augmentée
Descrição:

Chez Pierre Gosse Junior et Daniel Pinet, La Haye, 1765. In-8º de 276 págs. Encadernação coeva em pele com dizeres em rótulo de pele na lombada.

Observações:

Obra sobre a  Revolução de 1640 e as manobras da sua preparação em segredo escrita pelo Abade de Vertot, membro da Academia das Inscrições que a escreveu em 1690.
Foi posteriormente traduzida, parcialmente ou totalmente em português, nomeadamente por Frei Mateus Brandão, em 1815 e José Ribeiro de Figueiredo, em 1843.

Preço:65,00€

Referência:13351
Autor:WRIGHT, Sidney
Título:THE ROMANCE OF THE WORLD'S FISHERIES teresting descriptions of the many & curious methods of fishing in all parts of the world
Descrição:

Seeley & Co, Londres, 1908. In-8º de 320-(16) págs. Encadernação editorial cuidada com dizeres e ilustração a ouro, vermelho e branco nas pastas e lombada. Ilustrado em extra-texto com 24 ilustrações. Livro em lingua inglesa.

Observações:

Obra de referência sobre a pesca e os métodos utilizados no mundo inteiro.

PREFACE

In an account of the world's fisheries it is impossible  to use the word " fish " only in its strictly scientific
meaning; for what are everywhere known as "fisheries " include the taking of many creatures which are not really fish. Whaling, sealing, turtle-catching, and pearl-diving must necessarily have a place in the following  pages.

Little attempt has been made to treat the subject from the commercial or industrial point of view. The author has rather endeavoured to give an animated picture of the fisherman's life, of his methods, his hardships and  adventures, his disappointments, and his hardly won successes. The best authorities have been consulted, but many of the details are drawn from the author's own  experience.

 

Preço:90,00€
página 1 de 2